Empresário cita nome de José Dirceu em delação.


Julio Camargo, executivo da Toyo Setal, investigado pela Operação Lava Jato, afirmou em depoimento à Polícia Federal que José Dirceu, ex-ministro da Casa Civil, "tentou intervir" pela contratação da empresa junto ao ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli. A delação foi feita no dia 8 de abril e encaminhada ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta terça-feira. As informações são do Estado de S. Paulo.

O delator afirmou à PF que daria "suporte financeiro" à estatal em troca da celebração de um contrato com um consórcio do qual a Toyo fazia parte. Diante da sinalização de mudança do negócio, o executivo teria buscado ajuda de Dirceu, que teria "feito gestão junto a Gabrielli no sentido de entender por qual razão a Petrobras havia mudado a sistemática".

Ainda segundo a publicação, Camargo contou que doou valores ao PT, mas nunca ofereceu vantagens "devidas ou indevidas" diretamente ao petista.


Fonte: noticias.terra.com.br