Estado Islâmico reivindica tiroteio no Texas


O grupo jihadista Estado Islámico (EI) reivindicou, nesta terça-feira (5), através de sua emissora de rádio, o ataque realizado domingo (3) contra um concurso de caricaturas sobre Maomé, organizada por centro cultural no Texas, sul dos Estados Unidos, informam a agência internacional de notícias France Presse (AFP) e a a BBC.
"Dois soldados do califado executaram um ataque contra uma exposição de caricaturas contra o profeta em Garland, Texas, América", afirma o grupo, que proclamou um califado nos territórios que controla no Iraque e na Síria.
"Dizemos à América que o que está sendo preparando será mais importante e mais amargo. Verão coisas horríveis dos soldados do Estado Islâmico", afirma o grupo jihadista.
O ataque aconteceu na cidade de Garland, perto de Dallas, onde a associação 'American "Freedom Defense Initiative", considerada anti-islâmica, organizava um concurso de caricaturas de Maomé, cuja representação é proibida pelo islamismo.
Nesta segunda (4), o FBI identificou o segundo atirador morto durante o ataque. Segundo agentes da organização ouvidos pela CNN, Nadir Soofi dividia um apartamento com Elton Simpson, o outro atirador.

Ao contrário de Simpson, no entanto, Soofi não era conhecido pelo FBI e seu nome não fazia parte de nenhuma investigação ou monitoramento. Na segunda, policiais estiveram no apartamento onde os dois moravam, no condomínio Autumn Ridge. A área foi isolada durante as buscas por pistas.
Simpson e Soofi tinham a intenção de “matar pessoas”, segundo o FBI, mas não chegaram a entrar no centro cultural. Eles atiraram em um segurança, cujo nome não foi divulgado, e o atingiram no tornozelo. O guarda não foi ferido gravemente e não corre risco de morte.


Fonte: g1.globo.com