Tiros afastam negócios e cursos em favelas no Rio


Uma nova rotina se instala no Conjunto de Favelas do Alemão, na Zona Norte do Rio, além de trocas de tiros frequente: o colapso de pequenas empresas, como agência de turismo, lanchonetes e restaurantes. Enquanto algumas fecham as portas, cursos se mudam para áreas mais seguras da cidade, embora, institucionalmente, o Alemão seja tratado como pacificado.

O processo de falência ou de mudança começou antes mesmo de um tiro atingir do garoto Eduardo de Jesus, de 10 anos, na porta de sua casa na última quinta-feira. Devido aos confrontos entre policiais e traficantes, uma agência de turismo que guiava estrangeiros e cariocas pelos becos da comunidade foi obrigada a encerrar os passeios já durante a Copa do Mundo, no ano passado.


Fonte: g1.globo.com